Bloodmist – Sheen (2016)

Já imaginou um disco do Sunn O))) com uma pegada Avant-Garde, meio futurista? É exatamente assim que Sheen, lançamento do Bloodmist soa.

O grupo foi formado em 2011 por Jeremiah Cymerman (produtor e engenheiro de som), Toby Driver (Kayo Dot, Maudlin of the Well) e Mario Diaz de Leon (Luminous Vault), mas só em 2016 lança seu primeiro registro em estúdio. Sheen tem em torno de quarenta minutos e explora uma mistura de Dark Ambient e Drone, com toques muito bem localizados de Doom e um tom de vanguarda, demonstrado pelas distorções eletrônicas e nos sub-ritmos presentes dentro de cada uma das faixas.

Criada com o objetivo de unificar o metal extremo, as formas modernas de composição, noise, e a improvisação típica do Jazz, a banda atingiu plenamente seu objetivos no debut. 100% instrumental, o disco vai do reflexivo ao doentio, utilizando solos de guitarra, ruídos, bramidos de clarinete e abusando de drone nos momentos certos. Não é um disco fácil de ouvir pra quem não é fã desse estilo caótico, mas vale cada segundo.

Considerados mestres da “dark music”, Cymerman, Driver e Mario Diaz gravaram e produziram o álbum no início de 2015, aguardando quase um ano para seu lançamento, que ocorreu no dia 29 de Janeiro. Além disso, o trio entra em turnê nos Estados Unidos já em Fevereiro.

A banda não tem site oficial, páginas em redes sociais ou sequer um perfil no Bandcamp, mas o álbum pode ser ouvido completo no Spotify.

Nota: 9